Ansiedade e comportamento – Academia da Odontologia
×

Blog da Academia

Manejo Comportamental

Sabe a famosa frase “a pressa é inimiga da perfeição?”. Pois é, eu levo isso ao pé da letra quando me deparo com uma criança teoricamente não colaboradora no primeiro encontro ao consultório. É claro que em alguns momentos e casos não temos tempo para postergar o tratamento em si, mas na grande maioria podemos sim ter a calma em ganhar nossa paciente no “manejo”. Por isso, trouxe esse texto sobre ansiedade e comportamento para você.

A ansiedade à visita odontológica pode ser administrada com intervenções farmacológicas e não farmacológicas e a dica da não farmacológica é: lembrar que cada paciente é individual, tem seu tempo para se acostumar com o ambiente, com as pessoas, cada criança tem sua timidez, sua velocidade na maturidade… Então, chame ele quantas vezes precisar ao consultório para uma simples profilaxia, aos poucos, subindo os degraus vagarosamente, do jeito dele, um dia (pode ser depois de 5, 10, 15 visitas…) ele irá deixar você tratar o que for preciso.

Claro que precisamos levar em consideração a idade da criança e o tipo de tratamento, mas de modo geral, para procedimentos simples como profilaxia, remoção parcial do tecido cariado em lesões pequenas, necessidade de tomada radiográfica, aplicação de cariostático ou verniz, selante com ionômero de vidro, essa técnica funciona a partir de 3 anos e meio.

A história do Joseph é famosa entre meus alunos! Tudo começou assim:

Ele tinha apenas 3 anos, algumas lesões posteriores e relutou 7 VISITAS para deitar na cadeira. Veio um dia, não quis e foi embora. Voltou com o pai, insistiu, não quis, foi embora. Voltou com a mãe, a mãe deitou junto, deixou um segundo, não quis mais e foi embora. Voltou novamente com o pai (talvez funcionasse melhor, dizia eles), sentou deu 5 segundos não quis mais e foi embora… nunca forcei, nunca pensamos na possibilidade de fazer a estabilização protetora (pois as lesões me permitiam este tempo de manejo). E fomos assim, passos lentos mas evoluindo…até que na 8ª consulta, ele sentou e fiz a profilaxia com a cadeira sentada e escova manual; mostrei passo a passo o que seria na próxima e aí na foto, ele deitado fazendo uma profilaxia.

Ansiedade e comportamento

Depois disso precisávamos fazer remoção parcial do tecido cariado e restaurar com ionômero de vidro as lesões, sem dificuldades, ele sentou na cadeira e deixou todos os tratamentos.

Ansiedade e comportamento

Hoje o Joseph já está com 7 anos, recebendo os selantes preventivos em molares permanentes com anestesia local e isolamento absoluto!

Ansiedade e comportamento

Como cobrar tantas consultas de manejo? Minha resposta é: a cobrança está no tratamento final da restauração que consegui fazer com qualidade e sem precisar de reparos! Todo este esforço foi para que eu não precisasse refazer um tratamento, e isso sim teria um grande custo!

Por Carla S. Pereira.

Não perca tempo e aprimore-se, confira os planos anuais de odontopediatria.

Carla Pereira

Especialista em Odontopediatria - PUC/PR
Mestre em Odontologia / Área de Concentração Odontopediatria - UFSC/SC
Habilitação em Sedação Consciente com Óxido Nitroso
Professora e Coordenadora do Curso de Especialização e Atualização em Odontopediatria - ABCD
IAPD Membro do board 2019/2021 - Membership Committee
Idealizadora da CAIXA GUIA - Odontopediatria
Clinical Adviser NuSmile no Brasil

Fale conosco via whatsapp 48991699181