Mancha branca ativa ou inativa? - Academia da Odontologia
×

Blog da Academia

Odontopediatria

“Meu filho já foi no dentista várias vezes e disseram que ele não tem nada, porém agora rapidamente apareceram vários buracos, o que eu faço?

Você, dentista, odontopediatra, já recebeu uma história parecida em seu consultório? Pois é, infelizmente isso acontece e hoje a leitura é sobre isso.

Qual é o primeiro sinal clínico de cárie e o que é “mancha branca”

A mancha branca nos dentes surge como o primeiro sinal clínico resultante da ação dos ácidos produzidos pelas bactérias da flora bucal. Assim, podemos entender que a mancha branca é cárie dentária no estágio inicial. Conforme o estudo de Corrêa-Faria et al. (2020), a prevalência da doença cárie pode chegar a 50% em crianças de 5 anos.

A mancha branca, também descrita como lesão incipiente, pode ser ativa ou inativa. Mas por que fica o sinal de mancha branca? Pois é onde houve a perda dos minerais e fica a saliva presente, quando secamos e iluminamos conseguimos enxergar essa mancha melhor.

Como diferenciar mancha branca ativa e inativa

Então vamos lá, primeiro temos que associar as palavras:

MANCHA BRANCA INATIVA”: Lisa e brilhosa

MANCHA BRANCA ATIVA”: Rugosa e fosca

 “MANCHA BRANCA INATIVA” é quando ocorreu um processo de desmineralização, ou seja, dente perdeu os minerais na camada mais externa do dente, o esmalte, e no lugar desses minerais houve a remineralização com o íon flúor, que se incorporou no lugar daquele mineral perdido. 

Se na visita ao odontopediatra, o exame clínico apontar mancha brilhosa e lisa, significa que a lesão já está inativa e remineralizada (há flúor nos espaços que estavam os minerais perdidos). Houve há um tempo um desequilíbrio na dieta e higiene e depois retomado o controle. Porém, quando secamos e observamos uma característica opaca e rugosa, significa que temos “MANCHA BRANCA ATIVA”, isso quer dizer que ainda está ocorrendo desmineralização e processos contínuos de perda de minerais naquele dente e meio bucal. Importante! Avalie os outros dentes para ver se não apresentam também MB. 

Como tratar a mancha branca

A mancha branca ativa deve ser tratada através do equilíbrio do meio bucal, assim podemos orientar a escovação com pasta fluoretadas (pelo menos 1.100ppm) e fluoretos e/ou realizarmos aplicação tópica de flúor no consultório. Além disso, revisões periódicas mais frequentes com um acompanhamento de perto do profissional. Com base na revisão sistemática de Stein et al. (2018) ações de educação em higiene oral, como a instrução de escovação e o uso do flúor são eficazes para reduzir a placa bacteriana e favorecer o reequilíbrio do meio bucal.

Em alguns casos, há indicação de aplicação tópica de flúor profissional utilizando verniz fluoretado, sendo uma concentração maios de flúor semanalmente. Essa aplicação não existe um protocolo exato de utilização com relação a frequência, cada profissional define conforme particularizar o seu atendimento e a necessidade do paciente.

Como é clinicamente a progressão da doença cárie

Ok, mas e quando existe uma cavidade? Pois é, isso significa que o desequilibiro dieta e higiene continuaram acontecendo na mancha branca ativa. Esmalte muito desmineralizado causa a quebra dessa estrutura, ocasionando na famosa “cavidade de lesão cariosa em dentina”. Lembrando que a dentina, a segunda camada do dente, não é toda mineral como o esmalte, e por isso a desmineralização é mais rápida. Essa cavidade pode ter dois aspectos, tecido escuro e duro, demostrando que existiu um processo de desmineralização, porém as atividades bacterianas estão inativas, ou seja, através da escovação, presença de flúor foi possível ocorrer um reequilíbrio entre o processo de desmineralização e remineralização. Já aquela lesão cavitada com tecido amarelado e amolecido demonstra que há atividade bacteriana, então nesses casos precisamos intervir. 

Como tratar um dente com cavidade

O tratamento de lesões cavitadas pode seguir os princípios de mínima intervenção ou restauradores, isso depende do diagnóstico que também deve ser feito por um profissional, e de preferencias nas crianças um odontopediatra. Neste diagnóstico, lesões em dentina pode ser muito bem indicado um exame complementar radiográfico.

Para o tratamento pode ser uso de cariostático (minimamente invasivo) ou então restaurador (podendo ser através de restauração com resina composta ou coroas).

Na Academia da Odontologia, recomendamos assistir os cursos de Cariologia, Diagnóstico em Odontopediatria e Cariostático em Odontopediatria. Estes cursos estão bem completos para te ajudar nas explicações aos pais/responsáveis sobre os temas inclusive como recomendar os retornos para cada paciente. 

Espero que tenham gostado da leitura,

Bons estudos.

Escrito por Carla Pereira e Josiane Pezzini Soares

Referências

Artigo: Corrêa-Faria et al. BMC Oral Health (2020) 20:75.

https://doi.org/10.1186/s12903-020-01067-w

Stein, et al. Community Dent Oral Epidemiol (2018) 46:1.

https://doi.org/10.1111/cdoe.12325

Consulte nossos planos e invista em crescimento pessoal e profissional!

Avatar photo

Carla Pereira

Especialista em Odontopediatria - PUC/PR
Mestre em Odontologia / Área de Concentração Odontopediatria - UFSC/SC
Habilitação em Sedação Consciente com Óxido Nitroso
Professora e Coordenadora do Curso de Especialização e Atualização em Odontopediatria - ABCD
IAPD Membro do board 2019/2021 - Membership Committee
Idealizadora da CAIXA GUIA - Odontopediatria
Clinical Adviser NuSmile no Brasil

Fale conosco via whatsapp 48991699181