fbpx
×

Blog da Academia

Endodontia

A escolha do material de obturador em dentes decíduos sempre é tema de questionamentos e muita discussão… vamos conversar um pouco sobre a escolha do material obturador em tratamentos endodônticos de dentes decíduos.

O que todos sabem (e gostariam) é que idealmente, este material deva preencher os canais radiculares com facilidade e aderir às suas paredes e reabsorver a uma taxa semelhante à raiz do dente decíduo, além de ser inofensivo ao germe dentário em desenvolvimento.  Porém, infelizmente fazer a melhor escolha significa optar por alguns desses requisitos em detrimentos de outros, já que não existe ainda um material que preencha todos os critérios ideais com índice de 100% de sucesso.

Primeiramente, vamos definir o que é o processo de obturação em dentes decíduos?

A obturação do canal radicular significa preencher hermeticamente o espaço anteriormente ocupado pelo tecido pulpar radicular, evitando trocas entre o meio externo (tecidos periapciais) e o meio interno (canal radicular) e vice-versa. O preenchimento deste espaço deve ser feito com um material que possa ser reabsorvido na mesma velocidade que o dente decíduo e ser eliminado rapidamente caso, acidentalmente, o mesmo estravasse através do forame.

Afinal, quando identificar a necessidade do procedimento endodôntico?

Para indicação do procedimento endodôntico é necessário um correto diagnóstico após avaliação dos sinais clínicos e radiográficos. As indicações para a pulpectomia (tratamento endodôntico) são: sinais/sintomas de pulpite irreversível, exposição pulpar sem hemostasiam sangue com coloração alterada ou tecido pulpar liquefeito, reabsorção radicular inflamatória interna, abcesso, fístula, lesão periapical, lesão de furca, reabsorção óssea e reabsorção radicular inflamatória externa.

Quais materiais disponíveis para obturação dos dentes decíduos?

Atualmente, as pesquisas científicas e os guidelines sugerem o uso de óxido de zinco eugenol (ZOE) e de pastas a base de hidróxido de cálcio e iodofórmio para preenchimento dos canais radiculares, porém, existem inúmeras outras opções, com evidência variada, relatadas com sucesso. 

Apesar de estudos comprovando as altas taxas de sucesso destes dois materiais, nota-se em alguns casos limitações como o padrão de reabsorção de ZOE mais lento ao da raiz do dente decíduo, reação de corpo estranho e desvio da rota de erupção do sucessor permanente. Já as pastas base de hidróxido de cálcio e iodofórmio podem ser reabsorvidas mais rapidamente que a raiz do dente decíduo, gerando uma depleção intra-radicular, ou seja, o canal fica vazio, favorecendo ao insucesso. Estas limitações são apontadas nos estudos, mas dificilmente caracterizadas como insucesso ou mensuradas em números.

O OZE continua sendo o padrão ouro, mas com um crescente inegável de estudos usando as pastas a base de hidróxido de cálcio e iodofórmio com um sucesso semelhante.

Quais as principais diferenças dos materiais?

É bem difícil pontuarmos as principais diferenças uma vez que são muitos materiais e muitas propriedades, além disso, existe protocolos diferentes para cada medicamento. Por isso, sugiro estudar as técnicas e materiais e ver o que você mais acredita e viabilidade de utilização.

Como eu escolho o material obturador ideal?

Diante do que conversamos até aqui, citar apenas um ponto de como escolher o material ideal é injusto, pois existem várias características que podem ser consideradas. O importante é você lembrar que: independente da técnica escolhida, o diagnóstico e o protocolo do material escolhido são pontos importantíssimos para o sucesso do seu tratamento.

Embora ainda tenhamos um “gap” na literatura quanto ao material ideal, a obturação é mais um passo que deve ser executado de forma criteriosa, lembrando que não cabe a ela tão somente, o sucesso ou insucesso da endodontia. 

REFERÊNCIAS:

Moskovitz M, Sammara E, Holan G. Success rate of root canal treatment in primary molars. J Dent 2005;33:41-7     

Erausquin J, Muruzábal M. Root canal fillings with zinc oxide-eugenol cement in the rat molar. Oral Surg Oral Med Oral Pathol 1967;24:547-58

Pilipili MC, Goret-Nicaise M, Dhem A. Effects of zinc oxide-eugenol, used in primary molars pulpectomies, on erupting mandibular premolars in dog. Dental follicle and bone modifications. In: Davidovitch Z, editor. The Biological Mechanisms of Tooth Eruption, Resorption and Replacement by Implants. Birmingham, Alabama: Harvard Society for the Advancement of Orthodontics; 1998. p. 111-5.  

Gupta S, Das G. Clinical and radiographic evaluation of zinc oxide eugenol and metapex in root canal treatment of primary teeth. J Indian Soc Pedod Prev Dent 2011;29:222-8.  

Smaïl-Faugeron V1, Glenny AM, Courson F, Durieux P, Muller-Bolla M, Fron Chabouis H. Pulp treatment for extensive decay in primary teeth. Cochrane Database Syst Rev. 2018 May 31;5.

cariostatico em odontopediatria

Juliana da Silva Pereira Andriani

Especialista em Odontopediatria - PUC/PR
Mestre em Odontologia / Área de Concentração Odontopediatria - UFSC/SC
Habilitação em Sedação Consciente com Óxido Nitroso
Professora e Coordenadora do Curso de Especialização e Atualização em Odontopediatria - ABCD
IAPD Membro do board 2019/2021 - Membership Committee
Idealizadora da CAIXA GUIA - Odontopediatria
Clinical Adviser NuSmile no Brasil

Fale conosco via whatsapp 48991699181