Qual a relação da fonoaudiologia com a odontopediatria? – Academia da Odontologia
×

Blog da Academia

Fonoaudiologia

Muitas condições precisam de uma equipe multidisciplinar ou interdisciplinar para tratamento desses casos. Nem sempre pensamos na fonoaudiologia inserida nessa equipe, porém é de fundamental importância em vários pacientes. Qual a relação da fonoaudiologia com a odontopediatria? Você sabe qual é o papel da fonoaudiologia? E quando devemos encaminhar nossos pacientes para esses profissionais?

O que vamos abordar nesse post:

Fonoaudiologia e Odontopediatria

Odontopediatras frequentemente se deparam com alterações de frênulos linguais, interposição lingual e distorções de fala. Em alguns casos podem surgir algumas dúvidas do momento ideal de intervenção e a necessidade de encaminhamento. O fonoaudiólogo é fundamental nessas situações, para discutir a hierarquia dos tratamentos ou então a intervenção simultânea.

Detectar precocemente alterações, que se realizada intervenção interdisciplinar, podem minimizar o desenvolvimento inadequado do sistema estomatognático e suas funções. Assim, podemos melhorar a qualidade de vida, crescimento e desenvolvimento das crianças.

Disfunções de fala

Diversas podem ser as disfunções, por exemplo a troca de consoantes em algumas palavras como o /R/ pelo /L/. O fonoaudiólogo é o profissional capacitado para diagnosticar e tratar esses desvios. Diversas podem ser as causas, como uma anquiloglossia, dificuldade de motricidade lingual ou até mesmo pouco espaço interno bucal.

Ceceio

O ceceio acontece quando há a interposição lingual durante a pronúncia de algumas palavras. Essa é uma altração que odontopediatra frequentemente observa. O uso prolongado de chupeta ou uma perda dentária anterior podem ser as causas dessa alteração.

Uma das possíveis intervenções que podemos realizar é a colocação de uma grade lingual. No entanto, é importante a avaliação do fono nesses casos. Há situações onde a criança consegue ultrapassar a grade e até mesmo piorar a alteração. Portanto, o acompanhamento interdisciplinar é fundamental!

Frênulo Lingual

Os frênulos linguais devem ser sempre observados pelo odontopediatra, afinal muitas vezes é quem vai identificar alguma alteração. No entanto, nem sempre é observado, precisamos ver embaixo da língua das crianças! Existem alguns protocolos para auxiliar no diagnóstico. Um deles é o “Teste da Linguinha”, que pode ser visto com mais detalhes no site clicando aqui.

Apesar de termos protocolos, aquelas alterações de frênulos que não são tão evidentes podem gerar dúvidas. Discutir esses casos para definir a intervenção e o acompanhamento é fundamental para a correção dessa alteração. E naqueles casos em que a frenectomia ou frenotomia são evidentes, é importante o encaminhamento para fono, assim a intervenção será efetiva.

Respiradores bucais

Outra situação frequente em nossos consultórios é a respiração bucal. As consequências dela já são bastante conhecidas, como o aprofundamento do palato e consequente estreitamento. Além disso, pode haver uma alteração do padrão facial, envolvendo musculatura e parte óssea.

Com isso, a postura facial pode alterar e a fala também pode sofrer consequências. Essa é outra situação onde não somente o fonoaudiólogo como também o otorrino devem trabalhar juntamente com o odontopediatra para melhorar a qualidade de vida desse paciente.

Sono

Hoje a Odontologia do Sono já está bastante em alta, mas nem sempre colocamos em prática na odontopediatria. A Professora Daniela Garib ministrou uma aula excelente sobre esse tema para a Academia da Odontologia, clique aqui para conferir.

Devemos incluir perguntas sobre o sono da criança em nossas anamneses. Identificar o padrão de dono das crianças é muito importante, visto diferentes padrões de sono podem ter benefícios e prejuízos. Muitas vezes conseguimos orientar e até mesmo intervir em diversos casos. E mais uma vez uma equipe envolvendo desde psicólogos, otorrino e outros profissionais de saúde é tão relevante!

Deglutição e mastigação

Outro ponto que acaba sendo menosprezado em nossos exames clínicos é a deglutição dos pacientes. Está dentro do nosso alcance para avaliar, podemos colocar um pouquinho de água na boca da criança e então pedimos para deglutir.

Importante salientar que a criança deve estar sentada para esse teste, assim não temos um resultado alterado. Essas alterações podem interferir também no processo de introdução alimentar e nutrição das crianças. Por isso identificar o quanto antes é fundamental.

Fica evidente que os tratamentos interdisciplinares serão imprescindíveis para a correção dessas alterações. Sendo assim, a definição da melhor fase para intervir, hierarquia ou simultaneidade de tratamentos será fundamental para a correção da alteração.

Ah, e correção não significa “cura total” com esses tratamentos. O fonoaudiólogo irá determinar a frequência de retornos de acompanhamento, para caso surja qualquer recidiva, possa ser corrigido novamente.

Além disso, as crianças que não tiverem o correto diagnostico e tratamento, provavelmente irão se adaptar e conseguir resolver diversas situações. Porém, a atuação de todos esses profissionais pode contribuir para melhorar qualidade de vida, desenvolvimento e crescimento das crianças.

Se você não assistiu o curso O papel do Fonoaudiólogo na Odontologia, da professora Sibeli Andrade aqui na Academia da Odontologia, não deixe de ver. Ela aborda todas essas alterações com detalhes e auxilia a identificar os momentos de quando encaminhar para a fono!

Espero que você tenha entendido a relação da fonoaudiologia com a odontopediatria?

Acompanhe nosso canal do YouTube e nosso Instagram!

Abraços!

Por Rafaela Hochuli.

Já se tornou aluno premium da Academia?

Você possui algum caso clínico que tem muita dificuldade de resolução? Aqui na Academia da Odontologia temos uma mentoria individual e personalizada para que você possa solucionar seus casos clínicos e alcançar o sucesso na odontopediatria!

fono

Rafaella Hochuli

Fale conosco via whatsapp 48991699181