Trauma no dente decíduo: O que fazer quando o dente fica escurecido? – Academia da Odontologia
×

Blog da Academia

Odontopediatria

O que fazer quando o dente fica escurecido? A alteração de cor em dentes decíduos não necessariamente significa necrose pulpar e com certeza não tem necessidade de tratamento imediato. Um estudo de coorte retrospectivo publicado em 2020 relata a incidência e prognóstico da alteração de cor da coroa em dentes decíduos traumatizados. O estudo demonstra a importância de monitorar o trauma no dente decíduo com a alteração de cor da coroa, principalmente os que parecem mais cinzas, devido ao maior risco de necrose pulpar e subsequente infecção do sistema radicular.

Trauma no dente decíduo, o que fazer?

“Dente do meu filho está ficando escuro, doutora, o que eu faço? É grave?” Essas são frases comuns em seu consultório? Acredito que o odontopediatra dificilmente vai  passar uma semana sem escutar este questionamento dos pais/responsáveis. 

E quando surge essa dúvida no meio de uma viagem, então? Sim, parece ser um desespero pra eles e se não estivermos seguros o suficiente para orientá-los de que o escurecimento, apesar de precisar ser acompanhado, não é considerado um tratamento emergencial, podemos deixar os pais ainda mais apreensivos sem necessidade. 

Se você ainda está “completamente perdido” quanto ao exato protocolo a seguir frente à alteração de cor nos dentes decíduos clique aqui para aprimorar e saber de uma vez por todas esse assunto e assista o curso completo da Professora Mariane: Trauma em Dentes Decíduos. 

Caso você tenha segurança na conduta e queira apenas se atualizar ou relembrar, este post é pra você! 

Então vamos lá:

Anote o que é importante sobre o trauma no dente decíduo

“A alteração de cor em dentes decíduos não necessariamente significa necrose pulpar e com certeza não tem necessidade de tratamento imediato”.

Anotado? Ótimo, então esse foi o primeiro aprendizado dessa leitura! Pois bem, então frente à esta ligação (citada acima) e queixa dos pais, já relembramos que a primeira coisa a se fazer é acalmá-los e dizer que sim, calmamente precisamos marcar uma consulta para exame clínico + radiografia. 

A partir do momento que estamos com o paciente na cadeira odontológica, a dúvida talvez seja: quais a chances desse dente ter complicações? Necrose pulpar e presença de infecção? Obliteração dos canais?

E aí te ajudamos com este artigo atual de 2020 intitulado: Incidência e prognóstico da alteração de cor da coroa em dentes decíduos traumatizados: um estudo de coorte retrospectivo, realizado em Canoas e Pelotas (RS).

Vamos direto ao ponto, tire um tempo e leia o resumo do artigo

“O conhecimento de fatores que influenciam a ocorrência de alteração de cor da coroa após lesões dentárias traumáticas em dentes decíduos e a compreensão de suas possíveis conseqüências podem ajudar os dentistas a prestar cuidados adequados.”

O objetivo deste estudo de coorte retrospectivo foi investigar a incidência de descoloração da coroa após trauma em dentes decíduos. Este estudo também estimou o risco de necrose pulpar com infecção subsequente do sistema do canal radicular e obliteração do canal pulpar em dentes descoloridos. 

Material e métodos

Foram analisados ​​os prontuários das crianças atendidas no centro especializado em trauma da Universidade Federal de Pelotas durante um período de 10 anos.

Os detalhes do paciente, incluindo o tipo de lesão, presença de alteração de cor da coroa, necrose pulpar e obliteração do canal pulpar, foram coletados. Fotografias de dentes com descoloração da coroa foram avaliadas para avaliar a cor apresentada (amarela ou escura). 

Resultados

Foram incluídas no estudo 355 crianças com 628 dentes traumatizados. A incidência de alteração de cor da coroa foi cerca de 20% nos dentes afetados. A descoloração foi maior em crianças cuja idade no momento do trauma era de 2 a 4 anos e foi associada ao tipo de lesão.

Dentes com a cor da coroa alterada tiveram um duplo risco de necrose pulpar e subsequente infecção do sistema radicular e oito vezes maior risco de obliteração do canal pulpar do que dentes sem alteração de cor da coroa. Dentes com alteração de cor da coroa cinza e amarela foram significativamente associados à necrose pulpar e obliteração do canal pulpar.

Conclusões

Este estudo demonstra a importância de monitorar os dentes decíduos traumatizados com a alteração de cor da coroa da coroa, principalmente os que parecem mais cinzas, devido ao maior risco de necrose pulpar e subsequente infecção do sistema radicular.

Então, isso mesmo, para nossa rotina clínica temos mais que certeza que dentes traumatizados precisam ser acompanhados e que dentes escurecidos tem maior chance de necrose pulpar e os pais precisam estar cientes disso!

Por Carla Pereira.

Referência: Goettems ML, Thurow LB, Noronha TG, da Silva Júnior IF, Kramer PF, Feldens CA, da Costa VPP. Incidence and prognosis of crown discoloration in traumatized primary teeth: A retrospective cohort study. Dent Traumatol. 2020 Feb 16. doi: 10.1111/edt.12552. [Epub ahead of print]

Agregue valor às suas consultas! Confira nossos planos anuais e aprimore-se!

Carla Pereira

Especialista em Odontopediatria - PUC/PR
Mestre em Odontologia / Área de Concentração Odontopediatria - UFSC/SC
Habilitação em Sedação Consciente com Óxido Nitroso
Professora e Coordenadora do Curso de Especialização e Atualização em Odontopediatria - ABCD
IAPD Membro do board 2019/2021 - Membership Committee
Idealizadora da CAIXA GUIA - Odontopediatria
Clinical Adviser NuSmile no Brasil

Fale conosco via whatsapp 48991699181